Apresentação


Publicado em 16.11.2018 7:34:29

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Professores no Estado da Bahia – SINPRO-BA –, entidade que representa todas as professoras e professores que atuam nas instituições de ensino privado no estado, vem a público, mais uma vez, repudiar, veementemente, as flagrantes atitudes de desrespeito, intimidação, ameaças, ofensas e tentativas de exposição negativa contra professoras e professores, por parte de um grupo de alunos de uma escola de referência centenária na cidade de Salvador.

Desde o início do processo eleitoral, o SINPRO-BA tem acompanhado com preocupação as manifestações contrárias a esses profissionais e tem se preparado, através do debate com outras entidades ligadas à educação e com órgãos competentes, para tomar todas as medidas cabíveis. Entendemos que essas ações não mais se tratam de divergência de opiniões político-partidárias, mas sim de desrespeito à condição humana e à Constituição Federal, que garante a liberdade de expressão a todos os cidadãos e a liberdade de cátedra em se tratando, especificamente, desta categoria.

Como Entidade de Classe, mas, sobretudo, como entidade formada por e para educadores, não nos cabe outra coisa que não seja a reafirmação do nosso repúdio a tudo aquilo que não se coaduna com os bons valores apresentados e trabalhados pelas escolas e por seus corpos docentes. Mais que isso, o SINPRO-BA reafirma seu compromisso em defender a categoria a qual representa com todos os instrumentos jurídicos e políticos possíveis, contra tudo aquilo que soa ameaça, intimidação e violência, física ou moral.

Assim, cabe reafirmar que triste é um país em que o professor, o profissional de educação passa a ser tido como um inimigo a ser vigiado, combatido e eliminado, em que a educação é desacreditada como elemento fundamental na formação das pessoas, para além do campo teórico e prático, mas como pilar da humanização, como já dissemos noutra nota.

A ação violenta desses estudantes causa não só insegurança aos educadores, mas também decepção, pois eles entendem que o ambiente escolar é um ambiente de formação de conhecimento e de opiniões baseados no respeito às divergências, às instituições democráticas e aos direitos humanos. Ao lado dessas professoras e desses professores, escolas, famílias e toda a sociedade deve estar em defesa da integridade desses profissionais que exercem uma atividade de grande exposição e que, por isso, são alvos fáceis de agressões morais e até mesmo físicas.

O SINPRO-BA se solidariza às professoras e aos professores que foram agredidos e ameaçados, fisicamente e moralmente, reitera seu repúdio aos que o fizeram e assume o compromisso de tomar todas as providências cabíveis para que a impunidade não impere e para que outros episódios como este não voltem a acontecer.

Para as professoras e professores que sejam vítimas de quaisquer destas ações, solicitamos que enviem, ainda que de forma anônima, denúncias para o e-mail denunciasinproba@gmail.com.

Diretoria Colegiada
SINPRO-BA

Compartilhe!