Notícias

SINPRO-BA participa de Ciranda Reflexiva sobre alfabetização infantil com Patrícia Corsino
Publicado em 21.02.2014 17:33:37

 

O SINPRO-BA, como integrante do Fórum Baiano de Educação Infantil (FBEI), participou, na última sexta-feira (14.02), da palestra da Ciranda Reflexiva Alfabetização de Crianças: Quando começa? Quando termina?, ministrada pela professora Doutora, Patrícia Corsino, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “ As Cirandas Reflexivas representam ações formativas do FBEI e, através delas, temas importantes são debatidos por docentes envolvidos neste segmento. Assim, o papel do Fórum, que é defender e qualificar a Educação Infantil, se expande e se consolida”, afirma a professora Heloisa Monteiro, diretora do Sindicato.

A abertura do evento ficou por conta da coordenadora do Fórum, a professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (Faced-UFBA), Marlene Oliveira dos Santos, que apresentou a convidada às educadoras que lotaram o auditório I da Faced-UFBA. Ao iniciar sua fala, Patrícia lembrou como a Educação Infantil costuma ser vista: uma brincadeira. Segundo a pesquisadora, mesmo o principal documento da legislação brasileira sobre o assunto, a Resolução Nº 5/2009, do Ministério da Educação, não responde às dúvidas sobre quando se deve iniciar o processo de alfabetização infantil. “A criança já nasce imersa na linguagem, na interação e na subjetividade”, destacou.

A partir de ideias de teóricos da área, como Bartolomeu Queirós, Walter Benjamim, Mikhail Bakhtin e Vigotski, a estudiosa lembrou que é por meio da linguagem que a criança acessa o outro, que, por sua vez, traz muitas possibilidades de apresentação de mundo. “Falar é um ato extremamente complexo e implica na organização do pensamento”, lembrou. De acordo com Patrícia, é necessário um olhar atento sobre as brincadeiras, pois nelas estão implícitas formas particulares de linguagem e são por meio delas que as crianças aprendem a criar simbolismos de segunda ordem.

“Não é necessário que possamos dar voz às crianças, mas que aprendamos a ouvi-las”, enfatizou. De acordo com a professora, o binômio de relação professores e alunos não é simétrico, pois o eixo deve ser a interação, que se dá por meio das brincadeiras, da imaginação e criação. “A criança, que tem este contato com a educação infantil, vai escrever muito bem. Aprender uma outra linguagem deverá ser mais uma possibilidade de interagir com o mundo”, finalizou.

No final do evento, a professora Marlene agradeceu a participação de todos e lembrou que as Cirandas Reflexivas continuam em 2014. Em 11 de abril, está prevista a discussão com a temática Quais práticas de Leitura e Escrita para Crianças na Educação Infantil e em 16 de maio, com Uma Viagem pelo Mundo da Literatura na Educação Infantil. O local dos encontros e o nome dos palestrantes serão divulgados posteriormente.

Assessoria de Comunicação SINPRO-BA

 

Compartilhe!